Como as enzimas digestivas ajudam na intolerância alimentar?

53 milhões de brasileiros convivem com esse problema. Outra situação também comum é a alergia ao leite de vaca, que é bem diferente da intolerância, ao contrário do que se possa pensar. Neste post, para você entender mais do assunto, vamos mostrar o que são enzimas digestivas e como elas podem ajudar nas intolerâncias alimentares. E para que você aprenda a partir de exemplos e seja introduzido de um jeito mais prático ao assunto, explicaremos as questões de intolerância à lactose e alergia ao leite de vaca, apresentando as diferenças entre esses dois problemas. Acompanhe:

Qual a diferença entre intolerância à lactose e alergia ao leite?

A lactose é um açúcar natural do leite. A intolerância a esse componente consiste na incapacidade que o organismo da pessoa apresenta para promover a digestão do açúcar. Essa condição geralmente resulta em distúrbios intestinais, cólicas, flatulência (gases) e diarreia. O motivo dessa incapacidade reside na ausência ou na deficiência de uma enzima, a lactase, na mucosa intestinal. É essa enzima que digere (quebra) a lactose. Estando ausente, podem ocorrer os distúrbios citados. A alergia alimentar, por sua vez, é uma hipersensibilidade a um determinado alimento, neste caso, o leite de vaca. A ingestão do produto por quem é alérgico provoca uma resposta exagerada do sistema imunológico. O que acontece é que o organismo não consegue absorver a proteína do leite de vaca, considerando-a uma substância estranha e, portanto, reagindo à sua presença. Assim, enquanto a intolerância à lactose é um problema de ausência de uma enzima (do próprio organismo), a alergia é uma reação à presença de uma proteína (do leite).

O que são enzimas digestivas?

Enzimas, de modo geral, são proteínas especiais produzidas pelo organismo para atuarem como auxiliares em diversas reações químicas do corpo. Algumas enzimas possuem a função específica de digerir determinados nutrientes ingeridos com a alimentação e, por essa razão, são conhecidas como digestivas. Por exemplo, são substâncias desse tipo que permitem a digestão de carboidratos, proteínas e gorduras existentes nos alimentos consumidos nas refeições diárias.

Como elas podem ser úteis?

O próprio organismo produz as enzimas de que necessita. No entanto, por razões diversas (herança genética, ocorrência de algum distúrbio, circunstância alimentar, entre outras), a quantidade produzida pode não ser suficiente para o trabalho necessário. Por esse motivo, a ingestão de enzimas digestivas pode trazer vantagens para o organismo, favorecendo, de modo especial, os processos digestórios. Essa ajuda pode ser tão mais necessária quando se tratar de casos de intolerância alimentar.

Como as enzimas são usadas na intolerância?

A utilização pode ser feita por meio da ingestão de alimentos ricos nas enzimas necessárias (alimentos diferentes possuem diferentes enzimas). Os casos como os de intolerância à lactose são melhor atendidos com a utilização de suplemento da enzima lactase. Como se trata de ação específica no organismo, visando uma regulação adequada, a introdução da substância deve ser orientada por um profissional habilitado. Existem diversas formas de apresentação da lactase para esse fim: em cápsula, em comprimido, em pó, ou na forma de pastilha mastigável. De modo geral, os produtos podem ser obtidos em boas farmácias de manipulação. Se você gostou deste post sobre enzimas digestivas na intolerância alimentar, continue acompanhando nossos conteúdos nos seguindo nas redes sociais: estamos no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.