Lesões esportivas: como prevenir, tratar e reabilitar o aluno?

Que a prática de atividades físicas é essencial para a manutenção da saúde e do bom funcionamento do corpo, não há dúvidas. Os benefícios para os praticantes são indiscutíveis, indo desde tonificação muscular e aumento da força até melhoria do sistema imunológico e prevenção de doenças, como a osteoporose a diabetes e a obesidade. Mas o que fazer quando se é acometido por lesões esportivas? É preciso entender, primeiramente, que treinar ou praticar esportes sem a devida orientação de um profissional pode ser algo perigoso, aumentando os riscos de sofrer lesões esportivas. Em todo caso, quando elas acontecem, é preciso entender o que fazer e qual é o papel do educador físico na reabilitação do praticante. É justamente sobre isso que falaremos neste miniguia. Vamos lá?

O que são lesões esportivas?

As lesões esportivas, como o próprio nome já indica, são aquelas que acontecem durante a prática de esportes ou de exercícios físicos variados. Elas podem acontecer com qualquer pessoa, independentemente da sua experiência em determinada atividade ou nível de condicionamento físico. Em grande parte dos casos, elas surgem devido a fatores como falta de orientação profissional durante a prática, sequência de más práticas de formação, uso de equipamentos inadequados e até mesmo a ausência de aquecimentos e alongamentos.

Quais são as lesões esportivas mais comuns?​

Distensão muscular

Esta lesão ocorre quando as fibras musculares são rompidas por não aguentarem certa carga de peso ou devido a um alongamento exagerado, por exemplo. Para evitá-la, é fundamental não exagerar na atividade dos movimentos recomendada pelo professor ou personal trainer. A distensão muscular pode ser muito dolorosa, uma vez que também se rompem alguns dos vasos sanguíneos responsáveis por irrigar as fibras musculares, dando origem a um hematoma e, consequentemente, uma inflamação local.

Contusão muscular

A contusão muscular é causada por um impacto ou acidente que gera dor, rigidez e edema no local afetado. Trata-se de uma lesão esportiva bastante comum entre os atletas de esportes de contato (como o futebol). Contudo, também acontece nos praticantes de musculação, por meio de acidentes com aparelhos, barras e halteres.

Luxações e subluxações

As luxações e subluxações ocorrem quando os ossos em uma articulação são deslocados e ficam fora do local correto (sendo a segunda caracterizada pelo deslocamento parcial). Elas são frequentemente causadas por impactos súbitos na articulação, danificando os ligamentos como consequência. Embora as articulações mais suscetíveis a serem deslocadas são as da mão, é também comum a ocorrência dessas lesões nos ombros, joelhos, quadris e até mesmo os cotovelos. É muito importante que as luxações e subluxações sejam reduzidas o quanto antes, de modo a não comprometer o suprimento sanguíneo à articulação.

Problemas de coluna

Grande parte das lesões esportivas afetam a coluna. As causas para que elas aconteçam envolvem a má postura e o excesso de peso exercido sobre ela, gerando problemas como:
  • hérnia de disco: deslocamento do anel fibroso que envolve as vértebras da coluna, causando sintomas como formigamento, “fisgadas” e perda de força no braço;
  • distensão cervical: ocorre quando há o estiramento ou a ruptura dos tecidos moles de sustentação da coluna (como tendão, ligamento e músculos), tendo como causas a hiperflexão ou a hiperextensão da região cervical;
  • fraturas: as fraturas cervicais são comuns em esportes de alta velocidade e energia, contudo, é preciso procurar tratamento imediato, já que podem ser graves e deixar o paciente tetraplégico.

Ruptura do tendão

A ruptura do tendão é mais comum durante a realização de movimentos explosivos, ou seja, excessivamente rápidos ou com cargas elevadas. Ela também pode ocorrer devido às complicações como tendinites ou tendinoses (explicadas adiante). Para reverter essa lesão esportiva, é preciso que o praticante se submeta a uma cirurgia para restabelecer o funcionamento original dos músculos afetados. É preciso destacar, contudo, que essas lesões não dependem de um histórico, ou seja, não há como garantir que elas acontecerão ou não. Por outro lado, há também aquelas causadas por excesso de treino, relacionadas ao treinamento e ao tipo e intensidade de atividade praticada. Entre elas, as mais comuns são:
  • tendinite: ocorre quando há a inflamação de um tendão, geralmente devido à realização repetitiva e excessiva do mesmo movimento;
  • tendinose: também conhecida como tendinite crônica. Ela é causada pela ocorrência de danos nos tendões ao nível celular, sem o surgimento de inflamações.
Essas lesões por esforço excessivo tendem a ser mais difíceis de se diagnosticar e, consequentemente, tratar. Muitas vezes, elas precisam de um histórico de sobrecarga para começarem a provocar sintomas nas pessoas, por isso, são mais comuns em atletas diversos e em quem compete em alguma modalidade. Outras lesões que resultam do uso excessivo de uma parte do corpo durante a prática de exercícios físicos por um longo período são as crônicas — encontradas, frequentemente, em esportes de baixo contato que envolvem sessões longas de treino ou a repetição de um mesmo movimento por várias vezes, como corrida de longa distância, natação, remo, entre outros. Elas ocorrem, sobretudo, devido ao uso de técnicas inadequadas e erros de treino. Entre os seus sintomas, estão:
  • dor ao praticar alguma atividade;
  • dor mesmo quando em repouso;
  • inchaço.

Como um profissional pode ajudar na reabilitação do praticante?

Quem sofre com algum tipo de lesão esportiva deve procurar a ajuda e a orientação dos profissionais de saúde, solicitando sempre o acompanhamento de um educador físico para iniciar a sua reabilitação — trabalho fundamental para a evolução tanto no esporte quanto nas atividades comuns do dia a dia. Isso porque a prática de exercícios de maneira incorreta e sem orientação pode, mais uma vez, causar problemas, agravando as consequências da lesão e piorando o estado do dano físico. Somente um profissional poderá conduzir o processo de reabilitação de maneira adequada, considerando aspectos como angulação, intensidade e execução física. Como existem vários tipos e níveis de lesões esportivas é comum que, entre elas, existam aquelas que impedem a prática de atividades físicas, como as fraturas, as roturas ligamentares e as lesões musculares intensas e de grau elevado. Nesses casos, o repouso é recomendado, e cabe ao educador físico entender quando o aluno está liberado pelo médico ou fisioterapeuta a retornar aos treinos sem prejudicar a sua recuperação. Por fim, é também relevante destacar que o alongamento exerce um papel importante na reabilitação. Aqui, caberá ao educador observar se o músculo está sendo alongado de forma intensa e gerando um desgaste na fibra muscular, o que pode causar o efeito reverso.

Como as lesões esportivas podem ser prevenidas?

De modo geral, é possível prevenir a ocorrência desse tipo de lesão das seguintes formas:
  • pratique exercícios corretamente e sempre supervisionado;
  • respeite os limites do seu corpo e descanse;
  • mantenha-se hidratado;
  • não negligencie o uso de equipamentos de segurança.
Como foi possível perceber, as lesões esportivas podem ocorrer quando a prática de atividades físicas não é devidamente supervisionada em todos os aspectos que a envolvem, quando há a execução dos movimentos com carga muito acima da ideal ou até mesmo por uso de equipamentos inadequados. ​Toda a atenção quanto a esses fatores é crucial para se prevenir. E então, gostou do conteúdo que trouxemos neste post? Caso tenha restado alguma dúvida sobe o tema, não hesite em entrar em contato conosco agora mesmo. Vamos adorar conversar com você!

Este post tem um comentário

  1. André Alves da Silva

    Visitor Rating: 5 Stars

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.